O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) divulgou que o número de candidatas nessas eleições manteve-se dentro da proporção registrada em 2014. Nas eleições deste ano são 30,7% de candidatas, enquanto 69,3% são homens, ou seja, a cada 10 candidaturas, apenas 3 são femininas.

Em 2014 eram 31,1% de candidatas e, ainda que tenha acontecido uma redução de 0,4%, o dado ainda está bem distante da realidade populacional do país, onde são 51,8% de mulheres. Desde 1997, a lei eleitoral brasileira exige que os partidos e as coligações respeitem a cota mínima de 30% de mulheres na lista de candidatos para a Câmara dos Deputados, a Câmara Legislativa, as Assembleias Legislativas e as Câmaras municipais. Em 2018, o percentual precisa ser respeitado para as coligações de deputados estaduais, federais e distritais.

Executivo

O TSE registrou 186 candidaturas ao executivo estadual pelo Brasil, mas apenas 26 candidaturas são encabeçadas por mulheres, enquanto 160 homens foram registrados como candidatos a governador. Em oito estados a disputa se dará apenas com homens. São eles: Alagoas, Amapá, Amazonas, Ceará, Mato Grosso, Pará, Rio Grande do Sul e Rondônia. Além disso, em apenas seis estados – Distrito Federal, Maranhão, Minas Gerais, Pernambuco, Piauí e Rio de Janeiro – os eleitores verão mais de uma mulher na disputa pelo governo, enquanto em 13 estados há pelo menos uma mulher na disputa.

No cenário nacional a presença de candidaturas femininas também é bem menor. São apenas duas candidatas – Marina Silva (Rede) e Vera Lúcia (PSTU), já que Manuela D’Ávila (PCdoB) desistiu de concorrer.

 

Da Redação

Foto: Carlos Moura/SCO/STF

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome