O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) determinou a transferência do ex-governador do Paraná Beto Richa e da esposa e ex-secretária estadual Fernanda Richa do Complexo Médico-Penal (CMP), em Pinhais, na Região de Curitiba, para o Regimento da Polícia Montada, no bairro Tarumã, em Curitiba. As transferências foram determinadas na terça-feira (11) pelo desembargador Laertes Ferreira Gomes, da 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR).

A transferência ocorreu no final da noite de terça, de acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Administração Penitenciária do Paraná (Sesp).

As prisões de Beto e Fernanda, determinadas pela 13ª Vara Criminal do Foro Central da Comarca da Região Metropolitana de Curitiba, são temporárias – válidas por cinco dias. Eles foram presos pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Beto, que era candidato ao senado, foi alvo de duas operações: uma realizada pelo Ministério Público do Paraná (MP-PR), pela qual foi preso, e outra da Polícia Federal (PF), na 53ª fase da Lava Jato, na qual a casa dele passou por busca e apreensão.

O MP-PR considera que o ex-governador é chefe de uma organização criminosa que fraudou uma licitação de mais de R$ 70 milhões para manutenção de estradas rurais, em 2011. Conforme a promotoria, Richa fazia lavagem de valores ilícitos com apoio da mulher.

 

Da Redação com G1

Foto: Ricardo Almeida/ANPr

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome