O candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, criticou neste sábado (25), em entrevista à  uma afiliada da TV Globo a atuação do Ministério Público do Trabalho, que ele classificou de obstáculo para o desenvolvimento do país. Ele disse que, se eleito, vai “tirar o Estado do cangote do produtor”.

“O maior incentivo que a gente pode dar com o setor produtivo é tirar o Estado do cangote do produtor. Por outro lado, conversando com a nossa equipe econômica, nós temos que desburocratizar e desregulamentar muita coisa, de forma que aquela pessoa que queira empregar não seja refém do Estado”, declarou o candidato o candidato, que esteve em Catanduva, interior de São Paulo, cumprindo agenda de campanha.

Na manifestação aos apoiadores de candidatura,  ele voltou a repetir os mesmos temas que tem abordado em todos os seus atos de campanha. Mais uma vez Bolsonaro  declarou que, caso vença a eleição, vai propor a criminalização das invasões de terras como “terrorismo”, dará retaguarda jurídica para policiais usarem armas de fogo no exercício do trabalho sem risco de serem processados criminalmente e vai incentivar que a população se arme para, segundo ele, reagir contra a criminalidade.

Após a visita a Catanduva, Bolsonaro embarcou em direção a Barretos. Ao chegar ao município, por volta de 11h, ele foi visitar o Hospital de Amor, antigo Hospital de Câncer, acompanhado do presidente da instituição, Henrique Prata.

 

Da Redação com G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome