Inscrições estarão abertas em breve!

A Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, em parceria com a APIDF (Associação Apícola do Distrito Federal, e apoio da Associação A.B.E.L.H.A, promove nos dias 25 e 26 de agosto de 2018 o “II Curso sobre biologia e manejo de meliponíneos para polinização de plantas de interesse agrícola”. Meliponíneos são abelhas sem ferrão de zonas tropicais e subtropicais com grande potencial para a polinização de plantas de interesse agrícola. A meliponicultura ainda é um mercado incipiente no Brasil, mas com ampla capacidade de crescimento, já que o mel oriundo dessas espécies atinge alto valor agregado e chega a custar mais que o dobro do mel tradicional de abelhas com ferrão.

Além do mel, a meliponicultura abrange também a produção e comercialização de colmeias, pólen, resinas, própolis e outros substratos. O curso terá duração de 16 horas e será realizado nas dependências da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia, Brasília, DF. Será cobrada uma taxa de inscrição no valor de R$120,00 para custear as despesas com refeições e materiais didáticos.

Aliada à importância econômica, ambiental e social, a meliponicultura prescinde de cuidados intensivos e investimento elevado para construção de meliponários. Sem falar que pode ser desenvolvida em áreas residenciais, já que as abelhas sem ferrão não apresentam riscos.

Segundo a pesquisadora da Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia Carmen Pires, que é a coordenadora técnica do curso, incentivar a meliponicultura no País é também uma forma de contribuir para a preservação de espécies nativas de abelhas. Somente no Brasil há cerca de 250 espécies de abelhas indígenas sem ferrão já descritas, muitas delas com características específicas e propícias para o uso em polinização de plantas cultivadas.

O curso oferecido pela Embrapa tem como objetivo principal capacitar produtores, trabalhadores rurais, apicultores, meliponicultores, técnicos e estudantes das áreas de biologia, engenharia agronômica e florestal, zootecnia e veterinária na biologia e manejo de abelhas sem ferrão e também na sua importância para a polinização nos agroecossistemas.

Para isso, vai contar com aulas teóricas sobre: as abelhas sem ferrão, incluindo a diversidade e biologia; a importância de criá-las; as principais técnicas de manejo, instalação e povoamento de meliponários; a importância das abelhas na polinização de plantas cultivadas e em áreas naturais e o uso comercial de abelhas na polinização de culturas em campo e cultivo protegido.

As aulas práticas vão abordar a diversidade e biologia de abelhas; captura e transferência de enxames (equipamentos, utensílios e organização da atividade) e multiplicação de colônias. Serão apresentadas também palestras sobre a legislação brasileira relacionada à captura, transporte e comercialização de ninhos de meliponíneos. Haverá a exibição de filmetes, seguido por debates.

O curso terá como instrutores principais o professor da Universidade Federal de Viçosa (UFV), Lúcio A. de Oliveira Campos, o pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental, Cristiano Menezes, e o meliponicultor da Associação Apícola do Distrito Federal (APIDF), Carlos Alberto Bastos.

Meliponicultura: ótima opção para mercado crescente de produtos naturais no Brasil

O segmento de produtos naturais tem crescido de forma significativa no Brasil – 20%, em média, contra 8% no resto do mundo. Prova disso é que o País já é o quinto maior mercado de alimentos e bebidas saudáveis, com volume de vendas superior a US$ 25 bilhões em 2015. “A meliponicultura se encaixa perfeitamente nesse nicho atual, já que é um sistema de produção que valoriza os ecossistemas nativos”, ressalta Carmen.

O II Curso sobre biologia e manejo de meliponíneos para polinização de plantas de interesse agrícola acontece nos dias 25 e 26 de agosto de 2018 na Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia em Brasília, DF.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome