Um incêndio de grandes proporções atingiu o prédio do Museu Nacional, na noite do domingo (2). Localizado na Quinta da Boa Vista, na zona norte do Rio de Janeiro, o museu já havia finalizado o horário de visitas e, segundo o corpo de bombeiros, não há registro de mortos ou feridos.

Segundo informações, as chamas começaram no começo da noite e o Corpo de Bombeiros chegou ai local por volta das 20h30 e até as 23h, as chamas ainda não haviam sido controladas, mas os bombeiros permaneciam no local. No momento em que o fogo começou, o prédio só estava com os quatro vigilantes, que foram para a área externa e acionaram o batalhão dos bombeiros em São Cristóvão.

Ainda não há informações sobre o que pode ter causado o incêndio, mas uma equipe especializada do Corpo de Bombeiros entrou no prédio por volta das 21h15 para avaliar a extensão dos estragos e também bloquear áreas que ainda não tinham sido atingidas. Dois andares foram bastante destruídos e parte do teto desabou.

Há três meses, por ocasião da celebração de seus 200 anos, o Museu Nacional assinou com o BNDES um contrato de patrocínio no valor de R$ 21,7 milhões. Os recursos serviriam à restauração do prédio histórico e fizeram parte da terceira fase do Plano de Investimento para a revitalização do Museu Nacional, e somaram-se a R$ 24 milhões destinados nas duas fases anteriores pelo BNDES.

O presidente Michel Temer lamentou o incidentes, assim como também outras autoridades e personalidades do circuito cultural. “É preciso descobrir a causa e apurar a responsabilidade. O BNDES assinou em junho um contrato de patrocínio no valor de R$ 21,7 milhões. Tenho procurado ajudar a instituição desde que entrei no MinC. O Instituto Brasileiro de Museus realizou diversas ações. Infelizmente não foi o suficiente. Temos que cuidar muito melhor do nosso patrimônio e dos acervos dos museus. A perda é irreparável. Certamente a tragédia poderia ter sido evitada. O MinC está de luto. A cultura está de luto. O Brasil está de luto. É vital refazer o Museu Nacional, revendo também seu modelo de gestão. E investir agora para que isso não aconteça nos demais museus públicos e privados”, diz a nota do ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão.

 

Da Redação com UOL

Foto: Tânia Rego/Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome