A Procuradoria Geral da República (PGR) pediu ao Supremo Tribunal Federal (STF), nesta quinta-feira (30), que publicasse a decisão que torna o senador Aécio Neves (PSDB-MG) réu por corrupção e obstrução de Justiça. Com a publicação, a PGR poderá dar início à investigação penal contra o parlamentar e, com isso, ouvir testemunhas e analisar provas, entre outras ações.

“Decorridos mais de quatro meses desde a sessão de julgamento em que praticado o ato referido acima, deve ser deflagrado, o quanto antes, o início da instrução processual penal, a fim de se conferir efetividade à persecução penal. Dessa forma, a Procuradora-Geral da República requer prioridade na publicação do acórdão, para que se instaure o processo penal com a maior celeridade possível”, diz a peça assinada por Raquel Dodge.

Aécio foi denunciado em junho de 2017 pelo Ministério Público Federal após as delações de executivos do grupo J&F. Segundo a acusação, o senador pediu R$ 2 milhões de propina ao empresário Joesley Batista. A PGR afirmou, ainda, que ele e o presidente Michel Temer agiram juntos para atrapalhar as investigações da Operação Lava Jato. Ao analisar o caso, em abril deste ano, a Primeira Turma do STF acolheu a denúncia, e Aécio virou réu. O acórdão (decisão), contudo, não foi publicado no “Diário de Justiça Eletrônico”. O regimento interno do tribunal prevê prazo de 60 dias (já passaram 135).

 

Da Redação com G1

Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome