Foto: Mundo das Armas

Hoje (15) o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto que flexibiliza a posse de armas no Brasil, como era esperado. O decreto, porém, facilita apenas a posse, ou seja, a capacidade de ter a arma.

Por esta razão, a medida foi considerada insuficiente para alguns, desde coordenadores do MBL ao príncipe do Brasil, Luiz Bragança. Segue suas postagens:

 

Como esperado, a esquerda respondeu com rejeição ao decreto, que persistiu no argumento de que mais armas significam mais homicídios. Segue algumas postagens sobre o tema:

 

Os argumentos, entretanto, para alguns é considerado falho. Principalmente pelo fato de que os Estados Unidos é o país mais armado per capita do mundo, tendo 17.250 homicídios em 2016, em oposição aos 63.880 assassinatos cometidos no Brasil em 2017, o país desarmado.

Os americanos, curiosamente, não consideram a posse de armas uma benece do governo, mas sim um direito já possuído pelo cidadão. O artigo II da constituição americana dispõe justamente sobre isso, que o estado não interferirá no direito do cidadão de possuir armas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome