O presidente teve hoje (30) a sua primeira manhã de reuniões e compromissos para o novo governo desde a eleição no último domingo. A reunião que pode definir novos nomes para o corpo de ministros aconteceu na casa do empresário Paulo Marinho, aliado de Bolsonaro. Foram confirmados na reunião os nomes do deputado Onyx Lorenzoni (possível ministro chefe da Casa Civil) e o economista Paulo Guedes (confirmado para o Ministério da Economia).

Segundo o presidente do PSL, Gustavo Bebianno, outros nomes já estão definidos e devem ser anunciados por Bolsonaro. “Já temos em torno de 15 nomes, mais ou menos. Mas isso o presidente vai anunciar”, confirmou. Além de Lorenzoni e Guedes, devem ser confirmados o General Augusto Heleno para o Ministério da Defesa e o astronauta e tenente-coronel da Aeronáutica, Marcos Pontes, deve ser o indicado para o Ministério da Ciência e Tecnologia.

Em entrevistas na segunda-feira (29), o presidente Jair Bolsonaro confirmou seu interesse em ter o juiz federal Sérgio Moro no Ministério da Justiça ou como ministro do Supremo Tribunal Federal – quando uma vaga for liberada. “Pretendo conversar com ele brevemente, e já foi feita a sinalização positiva. Pretendo convidá-lo para o Ministério da Justiça ou – seria no futuro – abrindo uma vaga no Supremo Tribunal Federal, na qual melhor ele achasse que poderia trabalhar para o Brasil. Um homem com passado exemplar no combate à corrupção e em qualquer uma das duas casas ele levaria avante sua proposta”, afirmou.

Ainda são cotados o general Oswaldo de Jesus Ferreira para a pasta da Infraestrutura, o general Aléssio Riberio Souto nas telecomunicações e o ex-ministro Mendonça Filho para a educação. Os generais já estiveram com Bolsonaro no decorrer da campanha, seja na corrida pelos votos ou ainda na elaboração do plano de governo.

 

Da Redação

Foto: Reprodução

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome