O presidente Michel Temer fez um discurso na tarde da quarta-feira (10) no Palácio do Planalto em que defende que o Brasil atual não precisa de uma nova constituinte. Uma das bandeiras defendidas até pouco tempo pelo candidato do PT, Fernando Haddad. Durante a fala, Temer ainda acrescentou que a constituinte traria uma “perturbação nas questões nacionais”.

A fala do presidente não cita nomes, mas o projeto da elaboração de uma nova carta magna está dentro do plano de governo de Haddad, sendo citado pela primeira vez na página 6. “Para assegurar as conquistas da Constituição de 1988, as reformas estruturais e das instituições preconizadas, será necessário um novo processo constituinte. O governo Haddad participará, logo após a posse, da elaboração de um amplo roteiro de debates sobre os grandes temas nacionais e o sobre o formato da Constituinte”, diz o trecho.

Trecho do Plano de Governo do PT

Temer falou durante a cerimônia de posse do novo presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa. Apesar de não ter citado Haddad, o presidente comemorou que a ideia tenha sido “um pouco” abandonada. “Muitas e muitas vezes, eu vejo gente dizendo ‘vamos fazer uma constituinte’, como se a Constituinte fosse a solução para os problemas nacionais. Ao contrário, ela é a perturbação das questões nacionais”, disse.

No caso de Haddad, apesar dele ter desistido da proposta, o texto ainda encontra-se no site do Tribunal Superior Eleitoral.

 

Da Redação

Foto: Marcos Corrêa/PR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome