A juíza federal Gabriela Hardt conduziu por quase três horas, nesta quarta-feira (14), o depoimento do ex-presidente Lula no caso do sítio de Atibaia. Essa é a primeira vez que o Lula deixa o prédio da Superintendência da Polícia Federal (PF), onde está preso desde abril por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex. O interrogatório aconteceu na sede da Justiça Federal, em Curitiba.

Hardt é a substituta do juiz Sérgio Moro, que deixou as atividades na Operação Lava Jato para assumir o Ministério da Justiça. Nos últimos dias, a juíza tem colhido vários depoimentos de réus, testemunhas e envolvidos no caso do sítio em Atibaia. Nessa ação, Lula também é réu.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), Lula foi beneficiado com propina do Grupo Schain, de José Carlos Bumlai, OAS e Odebrecht por meio da reforma e decoração no sítio Santa Bárbara, em Atibaia (SP), que frequentava com a família. Mais 12 pessoas são rés neste processo. No total, as melhorias totalizaram R$ 1,02 milhão.

O trajeto do ex-presidente da Superintendência da PF até a sede da Justiça Federal aconteceu sem intercorrências e também sem bloqueios. Ao longo do caminho, em especial nos arredores do local do depoimento, apoiadores do Partido dos Trabalhadores (PT) levantavam faixas e bandeiras favoráveis à Lula. Por volta das 17h50 (horário local), o ex-presidente deixou a sede da Justiça Federal.

Lula nega as acusações e disse que não é o dono do sítio.

Da Redação com G1

Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *