A Justiça Eleitoral barrou mais de 1,2 mil candidaturas no processo deste ano. O principal nome impugnado foi o do ex-presidente Lula. Preso por corrupção e lavagem de dinheiro, ele vai ter que devolver R$ 20 milhões ao fundo eleitoral. Na mesma situação que ele, mas com valores bem menores, estão diversos outros. No total, os impugnados devem R$ 38,7 milhões.

O maior problema para Lula é que as contas da “não-campanha” dele mostram que foram gastos R$ 19,7 milhões de reais, ou seja, só teria sobrado R$ 300 mil reais. Somando isso ao valor não gasto dos outros candidatos, aproximadamente R$ 2,4 milhões serão imediatamente repassados. As informações são da ONG Movimento Transparência Partidária, que usou a base de dados do Tribunal Superior Eleitoral para criar uma plataforma reunindo as prestações de contas.

O Ministério Público Eleitoral (MPE) ainda não sabe como os candidatos vão reaver os R$ 36,3 milhões de reais que teoricamente já foram pelo ralo. No caso de Lula, ainda é mais difícil e o valor impressiona porque o ex-presidente sequer participou da campanha – já que está preso desde 7 de abril.

A ONG apontou, ainda, que os maiores gastos nas eleições deste ano foram com material publicitário (R$ 572 milhões).

 

Da Redação

Foto: Reprodução

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome