Os dois indicadores do mercado de trabalho da Fundação Getúlio Vargas (FGV) apresentaram melhora na passagem de julho para agosto deste ano. O Indicador Antecedente de Emprego, que busca antecipar tendências do mercado de trabalho para o futuro com base nas expectativas dos consumidores e dos empresários da indústria e dos serviços de todo o país, cresceu 8,8 pontos no período.

Com isso, o indicador atingiu 74,7 pontos em uma escala de 0 a 200 pontos, o maior valor desde março deste ano (82,6 pontos), quando começaram as medidas de isolamento devido à pandemia da covid-19.

O outro índice, o Indicador Coincidente de Desemprego (ICD), que mede a opinião dos consumidores sobre a situação atual do desemprego, caiu 0,8 ponto, para 96,4 pontos. Como esse indicador é medido em uma escala invertida, de 200 pontos a 0 ponto, quedas são resultados favoráveis.

Fonte: Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome