“Uma mentira dá uma volta inteira ao mundo antes mesmo de a verdade ter oportunidade de se vestir”. A frase, quase profética para os dias atuais, foi dita por Winston Churchill,  primeiro-ministro do Reino Unido durante a Segunda Guerra Mundial.

Quando se fala em profecia, pode-se fazer um link atual entre o pensamento de Churchill  com os fake news  propagados de forma criminosa nas redes sociais.

A última, com vigor de perseguição política, recaiu sobre o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), acusado por “ativistas” de ser favorável à caça indiscriminada no Brasil.

Mas, à luz da verdade, Bolsonaro jamais pregou atentado contra a fauna e flora do país. Ao contrário, sempre a defendeu com espírito patriótico.

Entre mentiras e meias verdades da “grita”, Jair Bolsonaro trouxe à exposição pública o que de fato ocorreu. Sua preocupação com a super população do javali-europeu nos estados de Goiás, Mato Grosso,  Mato Grosso do Sul, Tocantins e adjacências.

Os animais, que chegaram ao Brasil no século XX após fugirem de criadouros na Argentina e Urugaui, encontraram no país a chamada “morada segura”, por não haver predadores naturais em solo brasileiro.

Resultado: o bicho, de comportamento agressivo, tornou-se problema ambiental e econômico. Além de transmitir doenças como a febre aftosa, doença de Aujeszky, leptospirose e brucelose, ataca humanos, destrói plantações e mata qualquer animal que esteja ao seu alcance, dentre eles bovinos e suínos.

Jair Bolsonaro prega o abate controlado do javali a fim de minimizar danos e controlar a população do animal, hoje em crescimento exponencial. Eis a verdade, somente a verdade.

Eli de Castro

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome