Depois do presidente eleito Jair Bolsonaro definir quase todos os membros do ministério, atualmente são 13 já escolhidos, os ministros começaram a definir os nomes para o segundo escalão do governo federal. Nesta semana, o futuro ministro da Economia, Paulo Guedes, e o general Fernando Azevedo e Silva, futuro Ministro da Defesa, anunciaram alguns nomes para compôr as respectivas equipes a partir de 2019.

Economia

Guedes apresentou os nomes da Caixa Econômica Federal (CEF), Banco do Brasil (BB), Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) e Secretaria de Privatizações.

No BB, assume o economista Rubem Novaes, que formou-se junto com Paulo Guedes na Universidade de Chicago, nos Estados Unidos e foi professor da Fundação Getúlio Vargas, diretor do BNDES e presidente do Sebrae. A Caixa Econômica ficará com o economista Pedro Guimarães, doutor pela Universidade de Rochester (EUA). Especialista em privatizações, Guimarães tem experiência no mercado financeiro e passou por diversos bancos.

O Ipea ficará sob o comando de Carlos Von Doellinger, economista da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), que já integra o governo na equipe de transição. Pesquisador aposentado do Ipea e economista da UFRJ, von Doellinger foi Secretário do Tesouro Nacional e presidiu o Banco do Estado do Rio de Janeiro (Banerj). Salim Mattar é o nome escolhido para a Secretaria de Privatizações. Formado em administração de empresas e conselheiro do Instituto Millenium, de orientação liberal, Mattar será responsável por comandar uma área considerada estratégica pela futura equipe econômica.

Forças Armadas

Nesta semana o futuro Ministro da Defesa escolheu os comandantes das Forças Armadas para 2019. Exército, Marinha e Aeronáutica terão novos comandantes a partir de janeiro.

O general Edson Leal Pujol foi o nome escolhido para chefiar o Exército. Ele foi comandante Militar do Sul; secretário de Economia e Finanças; chefe do Centro de Inteligência do Exército; e instrutor na Academia Militar das Agulhas Negras. Além de comandar a Força de Paz Minustah, no Haiti, e atuar como observador militar da ONU em El Salvador.

Para a Marinha, Azevedo e Silva escolheu o almirante Ilques Barbosa Júnior. Ele entrou na Força em 1976, como guarda-marinha. Nos últimos 40 anos, foi promovido e chegou ao posto de almirante de esquadra em novembro de 2014.

Por fim, foi escolhido o tenente-brigadeiro Antonio Carlos Moretti Bermudez para o posto máximo da Aeronáutica. Desde 1975 na Aeronáutica, foi promovido ao posto de tenente-brigadeiro em novembro de 2014. Atualmente, é o comandante-geral de Pessoal da FAB.

 

Da Redação

Foto: Reprodução/Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome