A Polícia Federal (PF) entregou na terça-feira (16) ao Supremo Tribunal Federal (STF) o texto final do Inquérito dos Portos. A PF indiciou o presidente Michel Temer e mais 10 pessoas por organização criminosa, corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Além de Temer, foram indiciados a filha dele, Maristela Temer e o coronel João Baptista Lima Filho, amigo do presidente. Veja a lista completa no final da reportagem.

O relatório final, que tem mais de 800 páginas, aponta que Michel Temer não só lidera o esquema de corrupção, como atua nele há mais de 20 anos, ou seja, desde a época em que ele era deputado federal pelo estado de São Paulo. O delegado Cleyber Malta Lopes diz no relatório que “é possível concluir que há elementos concretos e relevantes no sentido que a edição do decreto buscou atender interesses de empresas portuárias ligadas aos agentes políticos Michel Temer e Rodrigo Rocha Loures”.

A PF pediu o bloqueio de bens de todos os suspeitos e a prisão de quatro deles. O ministro Luís Roberto Barroso encaminhou o caso para a Procuradoria Geral da República (PGR), que tem 15 dias para se pronunciar e decidir se apresentou não uma denúncia à justiça.

No ano passado, o ex-procurador da República Rodrigo Janot abriu a investigação, com base nas denúncias feitas por executivos do grupo J&F. Na delação, donos da empresa apontaram repasses de dinheiro e negociações com vários agentes políticos, inclusive Rodrigo Rocha Loures, tido como homem de confiança do presidente Michel Temer. A PF apontou que Loures teria articulado a edição do decreto 9.048/17, com apoio de Temer, em troca de propina e influência política. Esse decreto atualiza a Lei 12.815, conhecida como a Lei dos Portos.

O relatório também identificou os valores de propina repassados a Temer ao longo dos anos. Entre 2000 e 2014 o delegado diz que “Há indícios robustos de que o Presidente MICHEL TEMER tenha recebido diretamente os seguintes valores, relacionados ao setor portuário, em cerca de R$ 5,9 milhões”. Além disso, o relatório concluiu que, entre 2006 e 2016, o setor portuário doou R$ 115 milhões para o MDB, partido de Temer.

Outra pessoa beneficiada, segundo a PF, é a filha do presidente, Maristela Temer. O delegado Cleyber Malta Lopes indiciou Maristela por lavagem de dinheiro. A investigação apontou que uma reforma na casa dela teria acontecido com dinheiro de propina. A apuração levantou que o valor gira em torno de R$ 1,5 e 2 milhões.

Veja a lista de indiciados

  • Michel Miguel Elias Temer Lulia
  • Rodrigo Santos da Rocha Loures
  • Antônio Celso Grecco
  • Ricardo Conrado Mesquita
  • Gonçalo Borges Torrealba
  • João Baptista Lima Filho
  • Maria Rita Fratezi
  • Carlos Alberto Costa
  • Carlos Alberto Costa Filho
  • Almir Martins Ferreira
  • Maristela de Toledo Temer Lulia

Abaixo, os alvos de prisão preventiva

  • João Baptista Lima Filho
  • Carlos Alberto Costa
  • Maria Rita Fratezi
  • Almir Martins Ferreira

 

Da Redação com G1

Fotos: Marcos Corrêa/PR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome