O presidente da filial brasileira da Mercedes-Benz, Philipp Schiemer, afirmou nesta segunda-feira, 15, que o Brasil não pode virar a Venezuela. “Temos empresa na Venezuela e sei como é o sofrimento lá”, disse o executivo, durante evento do setor automotivo em São Paulo, promovido pela editora AutoData.

Para o executivo, que é alemão, o Brasil precisa “se unir de novo”. “Nos últimos anos, vimos um animosidade muito grande, do ‘nós contra eles’. Eu não consigo entender quando dizem que a elite não gosta que pobre viaje de avião. Eu tenho vontade de falar palavrão. Quanto mais pessoas puderem viajar de avião, melhor para todos”, disse.

Schiemer disse não concordar de maneira absoluta com as propostas de governo de Bolsonaro e Haddad, que estão no segundo turno das  eleições presidenciais, mas ressaltou que terá de aceitar o resultado e garantiu que vai trabalhar com qualquer um deles.

O executivo reafirmou que o atual plano de investimentos da montadora, de R$ 2,4 bilhões até 2022, não está em risco. No entanto, contou que teme pelos anos seguintes, pois “está difícil” convencer a matriz na Alemanha a trazer novos investimentos para o Brasil.

Da Redação com Uol

Foto: Mercedes-Benz

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome