Começaram na terça-feira (6) os interrogatórios aos réus no processo do sítio de Atibaia (SP). A Operação Lava Jato, sob o comando da juíza Gabriela Hardt, interrogou os ex-funcionários da Odebrecht Carlos Armando Paschoal e Emyr Diniz Costa Júnior para dar andamento ao processo que também investiga o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Em delação premiada, os réus já haviam afirmado que Lula teria se beneficiado com a aquisição e reforma do sítio. No interrogatório desta terça, os réus reafirmaram o conteúdo da delação. Nos próximos dias devem ser ouvidos mais 10 réus. Lula deverá ser ouvido no dia 14 deste mês para esclarecer o teor das delações. Apesar da propriedade não estar no nome dele, ela era usada pela família de Lula.

“Ele me chamou no escritório e me disse que precisava que eu destacasse um engenheiro de confiança pra que a gente fizesse uma reforma no sítio em Atibaia, que seria usado pelo presidente Lula”, disse Emyr, que era engenheiro da Odebrecht. Além disso, ele afirma que a obra custou R$ 500 mil inicialmente, valor que foi reajustado para R$ 700 mil.

Lula está preso em Curitiba por corrupção e lavagem de dinheiro.

 

 

Da Redação

Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *