Durante um evento em São Paulo, o presidente Michel Temer falou com a imprensa sobre a aprovação ou veto do reajuste salarial para os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). O projeto dá R$ 5,5 mil de aumento para os ministros e altera o teto do funcionalismo público, o que vai gerar um “efeito cascata”, causando diversos aumentos salariais e um rombo que pode ficar entre R$ 4 bilhões e R$ 6 bilhões.

“Eu estou examinando. Você sabe que eu tenho 15 dias. Eu estou examinando esse assunto com muito cuidado. Só decidirei lá na frente. Vamos ver como fazemos”, o presidente apontou que tem “até o dia 28 de novembro para sanção.

Aprovado pelo Congresso, o projeto vai fazer com que os valores saiam de R$ 33,7 mil e saltem para R$ 39,2 mil para cada um dos ministros do Supremo. Como o TudoVerdade já adiantou, o reajuste fará com que outros salários sejam aumentados. Tanto a União, quanto os estados terão modificações na folha de pagamento e o ônus ficará com o povo.

O tema existe na total contramão da fala ecoada pelas urnas no último dia 28 de outubro, onde o povo escolheu um projeto com a assinatura de menos gastos do estado e mais investimentos para a população em saúde, infraestrutura, programas sociais, educação, etc. O presidente eleito Jair Bolsonaro já comentou que, caso já estivesse em exercício, vetaria o reajuste. Segundo ele, “não é o momento de ampliar despesas”.

Da Redação

Foto: Cesar Itiberê/PR

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome